domingo, 5 de agosto de 2012

História missionária Madugu


Madugu
   MADUGU era uma criança como toda criança, ele gostava muito de brincar, mas certo dia brincando, ele machucou a sua perna. E como doía! MADUGU mancava o tempo todo, apoiado em uma vara. O machucado de sua perna doía tanto que ele chegava a morder os próprios lábios. Ele já havia pegado algumas folhas de uma árvore espinhosa para colocar no machucado, porque a sua mãe tinha dito a ele que isto curaria seu machucado. Ele esperou que melhorasse, mas a perna doía ainda mais. Nisto, MADUGU ao ver de longe a casa dos missionários, deu um grande suspiro. MADUGU sabia que na casa dos missionários tinham remédios, mas eles eram cristãos. E MADUGU disse para si mesmo:
   - Eu sou um muçulmano! Nós muçulmanos não devemos deixar que estes cristãos nos toquem. Apesar disso MADUGU sabia que alguns amigos dele tinham ido até lá na casa dos missionários e tinham sido sarados. E pensou... - Aqueles missionários são como anjos aqui na terra.
   Certa vez MADUGU tinha visto um missionário que andava pela aldeia, e ele tinha um livro que “falava”! Nele havia uma página dourada. E dizia: - Talvez, se eu fosse na casa dos missionários, poderia ver esse livro ou até pegá-lo. - Eu vou! Resolveu MADUGU. Era um caminho estreito, longo e cheio de pedras. MADUGU caminhou bem devagarinho. Seu machucado ardia como fogo. De vez em quando ele dava uma paradinha. Até que enfim conseguiu chegar à casa dos missionários.
   A esposa do missionário ao ver MADUGU, tratou-o com muito carinho, e lavou o seu machucado. E conversando com ele disse:
   - Eu me chamo Helena. - Você gostaria de ficar aqui até melhorar a sua perna? MADUGU não lhe respondeu. Olhou para ela desconfiado, e disse:
   -A senhora tem um livro que fala, não tem?! A missionária olhou para MADUGU admirada, e depois sorriu. 
   - Oh! Você quer dizer o Livro sem Palavras?! - Ele tem uma página dourada, disse MADUGU. Ela brilha. A missionária passou pomada com todo cuidado no seu machucado e disse a MADUGU: - O dourado representa o céu. MADUGU concordou com ela balançando a cabeça. - Já sei sobre o céu. Meu professor muçulmano me falou sobre o céu. A missionária olhou para o rosto de MADUGU, e disse: - Só há um céu verdadeiro MADUGU, e foi Deus quem o criou. Lá não há tristeza, nem doença, nem choro... E nem pernas machucadas! Ela colocou um faixa na perna de MADUGU, e continuou conversando: - Hoje à noite, o missionário Davi, meu esposo vai falar sobre o Livro sem Palavras para as crianças, ele vai mostrar primeiro a página dourada.
   De repente, MADUGU pergunta: - Se eu ficar aqui até minha perna melhorar, alguém poderia avisar ao meu pai que estou aqui? - Claro que sim! Vou mandar Cardo, o menino de recados, avisar ao seu pai, ele
corre bem depressa. MADUGU ficou muito feliz. Já não se sentia mais preocupado. Ele quase não via a hora de chegar a noite para saber mais do livro. Mas, justamente quando a missionária Helena estava terminando de fazer o curativo em sua perna... Sabe o que aconteceu? MADUGU viu as crianças chegando. - Já estou terminando MADUGU! – disse a missionária Helena. - Precisamos terminar de colocar esse pano para proteger.
   Assim que terminou de fazer o curativo, MADUGU se juntou às crianças, e o missionário tinha a página dourada aberta. O coração de MADUGU bateu forte. E MADUGU disse: - Aí está o livro que fala! Todas as crianças olharam para MADUGU, e depois olharam para o livro que tinha a página dourada. Ouçam o que Jesus nos diz na Bíblia a respeito do céu, disse o missionário Davi. - “Vou prepara-vos lugar.” Isto Está escrito na Bíblia em João 14:2.
   MADUGU se sentiu alegre ao escutar essa boa notícia, mas agora o missionário estava virando a página, e a próxima era completamente preta. Isto representa os corações sem Cristo. Representa o pecado e o mal. E fez uma pausa. - O pecado não pode entrar no céu! MADUGU então pensou em tantas coisas erradas que ele havia feito.
   O missionário virou novamente a página, e esta era de um lindo vermelho. Logo em seguida levantou-se um menino e falou bem alto: - “O sangue de Jesus Cristo, nos purifica de todo o pecado.” I João 1:7 - Jesus morreu! Para purificar os nossos corações. Disse o missionário. De imediato, MADUGU pensou no dia em que foi morto um carneiro todo branquinho, em uma festa mulçumana em sua aldeia, que ele e os irmãos assistiram. Agora ele sabia que um carneiro não poderia de jeito nenhum lavar os seus pecados. - Jesus voltou para o céu, para preparar um lugar para nós, disse o missionário. MADUGU inclinou-se para frente, admirado. - Mas o senhor não disse que Ele morreu?! As crianças riram baixinho de MADUGU.
   - Sim, Jesus morreu, mas Ele ressuscitou dos mortos, Jesus está vivo para sempre, é por isso que a Sua morte pode salvar-nos. - Disse o missionário Davi.
Então o missionário virou para a página branca. - Vejam! Isto representa um coração limpo! MADUGU desejava que o seu coração fosse assim, branquinho, branquinho e esse desejo foi para a cama junto com ele. Então ele começou a pensar: - O missionário havia dito que qualquer um poderia receber a Jesus em seu coração. MADUGU não ficava quieto na cama, se virava toda hora e ficava pensando: - Mas se eu chamar Jesus pra morar em meu coração, então eu não serei mais um mulçumano. Teria que ser um cristão, como eles! O desejo continuou com ele a cada dia. E sempre pensava: - Eu quero ter um coração limpo, como aquela página! Então cortou um pedaço de papel branco e colocou em seu bracinho tão escuro. Parecia mais branco do que nunca. Depois dobrou o papel e ficou com ele na mão, fazendo de conta que era parte do livro que falava.
   MADUGU começou a aprender alguns versículos bíblicos, e cada dia que passava, não via a hora de se reunir para ouvir mais do livro que falava. Certa noite, o missionário disse: - Jesus está esperando que cada um de nós o chame para morar em seus corações. Ele quer nos perdoar e ficar bem juntinho de cada um de nós! Podemos nos chegar a Ele como um amigo, porque Ele é o nosso amigo. Ele é o melhor amigo que podemos ter.
   MADUGU não esperou nem mais um minuto. Correu para o quarto que o missionário havia lhe dado, fechou a porta e se ajoelhou perto da cama. E orou assim: - Querido Jesus, estou pronto para recebê-lo agora. Por favor, venha e faça o meu coração ficar limpo. E por favor, deixe-me ser seu amigo. Quando ele subiu para a cama, estava muito feliz, quase não conseguiu dormir.
   Certo dia, MADUGU notou que a porta do escritório do missionário estava aberta. De fora, podia ver o Livro sem Palavras sobre a mesa. E MADUGU não pensou muito, entrou na ponta dos pés e sabe o que aconteceu? Ele pegou o livro. Era a primeira vez que ele tocava naquelas páginas coloridas. Neste momento ouviu um barulho atrás dele e depressa virou. Era o missionário que estava olhando para MADUGU. MADUGU levou um susto ao ver o missionário e disse: - Eu... Eu só estava dando uma olhadinha neste livro. O missionário sorriu pra ele e disse: - Tudo bem, não se preocupe MADUGU, vejo que sua perna está boa e você poderá ir pra casa amanhã. - Amanhã!!! – Exclamou MADUGU. Sem pensar, MADUGU disse ao missionário: -
   Não quero ir para casa! MADUGU sabia muito bem, que se ele fosse embora, não poderia mais ouvir as mais belas histórias da Bíblia e ver as cores que falavam! O missionário compreendeu o que MADUGU disse daquela forma. Então o missionário aproximou-se de MADUGU e delicadamente pegou o livro, folheu-o e, depois o devolveu a MADUGU e disse: - Quero dar este livro a você, para que você possa contar a história dele em sua aldeia. No dia seguinte, os missionários se despediram de MADUGU e oraram com ele e disseram: - Deus o abençoe.
   MADUGU de vez em quando olhava para trás enquanto descia a estrada dando tchau. Então quando ninguém mais o via andou bem depressa, e estava muito feliz. Segurava o livrinho sem palavras com orgulho e, a medida que ia andando, ia repetindo os versículos que aprendeu com o missionário. Quando se aproximou da aldeia, sua família ficou muito alegre ao vê-lo, e seus três irmãos perguntaram: - O que é isso que você ganhou? - Deixe a gente ver essas cores! Enquanto isso, MADUGU conservava o livrinho fechado. - Hoje à noite irei falar para vocês deste livro que fala. Assim que terminou o jantar, os meninos perguntaram: - Não está na hora? Está! Ou não está? - Sim! – Disse MADUGU.
   Ele sentou de frente dos seus irmãos, do mesmo jeito que viu o missionário fazer. E abrindo a página dourada, que brilhava no quarto quase escuro, disse: - Quando nós morremos, vivemos com Deus para sempre, se nossos corações estiverem limpos, pois este livro, diz que nós não somos bons, mas Deus é e seu filho Jesus também é bom. Deus mandou Jesus ao mundo, e Ele morreu por nossos pecados. E olhem! Abrindo a página branca disse: - O Senhor Jesus Torna limpinho o nosso coração sujo. Quando ele terminou de contar a história do livrinho, seus irmãos disseram: - Conte outra vez! MADUGU falou aos seus irmãos todos os versículos que tinha aprendido. No dia seguinte e durante toda a semana, os irmãos de MADUGU queriam ouvir mais e mais do livrinho, e cada dia que passava, um a um convidava Jesus para morar em seu coração. - Agora vocês precisam aprender todos os versículos que aprendi e que fala neste livrinho. Eu vou ensinar cada um deles para vocês. – Disse MADUGU.
   Passados uns dias, Binho, que era seu irmão do meio de MADUGU, disse: - Eu também sei! E não demorou muito, Basu, o irmão caçula de MADUGU, falou: - E eu também! MADUGU ficou muito feliz por eles. Binho aproximou-se deles e disse: - Agora nós precisamos ter um livro que fala também. Os dois irmãos de MADUGU também concordaram. Mas o coração de MADUGU, quase se
despedaçou de medo e disse: - Não há mais nenhum livro deste. Binho chegou nele e disse: - Você pode cortar o seu em quatro partes. Ele é tão grande! Mas MADUGU correu depressa para a sua casa na aldeia e disse:- Não! Não posso fazer isso! Não quero cortar o livro! Colocando o livro sem palavras debaixo de seu cobertor, sentou-se em cima do livrinho e dizia: - Não e Não! E pensando no que poderia acontecer se ele cortasse o livro, bem de vagarinho enfiou a mão em baixo do cobertor e tirou o livrinho. Mediu com seus dedos para ver de que tamanho ficaria cada parte, e notou que o livro ficaria muito pequeno. Naquela noite, MADUGU orou muito.
   Novamente MADUGU cortou o livro e agora havia sobre o tronco quatro pedaços. Os irmãos de MADUGU nem se mexiam, pois eles sabiam que MADUGU estava muito emocionado.
   MADUGU pegou as quatro partes e foi entregando uma a uma para seus irmãos e eles, com o maior cuidado, seguravam o livrinho e diziam a MADUGU: - Mamãe poderá costurar as páginas dos nossos livros que estão soltos. Todos estavam muito sérios. O coração de MADUGU estava muito feliz e lembrava o que aprendeu a respeito do livro e dizia: - Um coração limpo deve ter alegria em compartilhar com os outros. No momento em que terminou de entregar o livro para seus irmãos, sua parte do livro estava sobre o velho tronco e de repente um leve vento virou as páginas, ficando aberta na cor branca, era tão branca como antes! De repente, uma coisa maravilhosa aconteceu com MADUGU. Seu coração se encheu de alegria e em seu rosto surgiu um belo sorriso e disse: - Não tem importância que seja pequeno! Uma página pequena pode ser tão branca como uma grande! Ele sentia que naquele instante Jesus estava bem ao seu lado sorrindo e muito feliz por sua atitude. Os irmãos de MADUGU olharam para ele naquele momento e depois começaram a rir, balançando seus livrinhos e pulando de alegria.
   MADUGU também pulava e gritava de alegria junto com eles.


APLICAÇÃO: Essa história tão bela nos ensina que MADUGU não guardou para si a mensagem do quanto Deus nos ama a ponto de enviar Jesus, Seu único Filho, para morrer em nosso lugar, para nos perdoar dos nossos pecados e vir morar em nosso coração. Jesus quer que você fale dEle para seus amiguinhos, para seus coleguinhas de escola, para todos aqueles que Deus colocar perto de você! Não deixe de falar de Jesus, de orar por aqueles missionários que estão falando de Jesus e de ajudar com sua oferta eles.

                                                          Um abraço!

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...