quarta-feira, 3 de abril de 2013

Leitura da obra “Retirantes”, de Candido Portinari


Olá! Continuo na luta da faculdade e tempo é algo tão precioso, que só o pequeno momento de fechar os olhos por 1 minuto, dá enorme prazer. Sempre que posso dou uma relampeada por aqui (rsrsrs). Este é o meu trabalho de Artes e achei esta imagem tão profunda! A pedido da professora fizemos uma leitura em versos, prosa ou como acharmos melhor em fazer a escrita. Eis a minha:


                                

Elevo meus olhos aos céus, onde percebo não haver socorro.

Em desespero busco refrigério ao redor.

Ó, terra inóspita que esvai o respirar dos pulmões dos meus amados.

Sobrepuja o andar saltitante e oferece um lamaçal de morte.

Terra cujo gorjeio das aves é o prenúncio de morte e tenebrosa desgraça.

Oh terra infértil e incandescente, castiga os pés do retirante ansioso pelo repouso;

Terra que impede a lágrima que do corpo murcho coletou.

Terra ingrata que muitas mãos calejaram na labuta,

Adentrando em sua veia buscando energia para o corpo alimentar;

Amargo sabor do fel, sem doçura encontrar.

Cansado, moribundo e destituído do prazer simples de viver.

Tu terra ingrata, zomba do meu desejar;

O sol repousa e levanta a noite agourenta, olhos ainda elevados aos céus;

Ouve o clamor deste sofredor, Terra da desesperança!

De coração ardente e ansioso, sangra a preciosa esperança;

Perseguidor da vida, vulgo itinerante, alma quebrantada a sussurrar;

Não permita que`u morra sem a herança do bom viver alcançar.

Se desejarem a cópia, disponibilizo o link no Portal da Educação 

                                                                   Um abraço!

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...